FORMAL SOCIAL, 2012

cristal, concreto e madeira

105x21x18 cm

 

 

 

 

 

 

FORMAL SOCIAL

Taças de cristal foram quebradas nas partes que se tocariam ao brindar e reconstruídas com concreto. Há uma fricção entre essas duas matérias. A identidade se constrói pela diferença. A taça transparente, objeto nobre e de privilégio, de forma lapidada e fabricada é contrastada com o concreto bruto e opaco, elemento da rua, da arquitetura, da cidade, que deixa manifesto o desenho frágil da quebra na transparência do cristal.